Larissa Prestes e Silva

Paraná/ South of Brazil - January 1993.

Diz que ME disse

Cecília me disse
Que sempre existiu
Aqui, na China, na
Puta que pariu
Todo tipo de
Chacina podre
Morte política
Enfeite anarquista
Rebento do enfim.

As vezes rola
Preguiça
Mestiça paz
Saudosista
Trazendo aroma
Tinto e revistando
Carne negra
Divergência pós
Cegueira de covil.

Já Tião se aloprou
Fugiu pelo mundo
Descolonizou
Tirou a carapuça
Da dor e bradou
Forte a voz Norte
Ecoando cantos
Quatro cântaros
Escorrendo amor
Até o Sul do Brasil.

Terezinha diz
Que rima é
Premissa fina
Passa pente fino
Afasta nicho
Permanece quina
Observando sina
Diz “Tu és filha
Do tempo menina
Sossega teus ardis”.

E ela
Sobressalteia fria
Na brasa dos quadris
Permanece
Ânsia antiga
Cólera preta
Centro chama
Encantada lua
Na noite amiga
Renascendo fértil.

Alguém me disse que isso sempre existiu.
44 Total read